WhatsApp

62 99613-3981

Este site utiliza cookies para coletar informações sobre como os nossos visitantes usam nosso site. Estas informações nos ajudam a proporcionar a você a melhor experiência possível, personalizar o conteúdo que oferecemos e apresentar ofertas adequadas aos seus interesses. Para mais informações sobre o uso que fazemos dos cookies, acesse a nossa Política de Privacidade.

Conheça quatro tipos de direção veicular

      Anos atrás, na hora da compra de um veículo, itens como marca, modelo, versão e ano eram levados em consideração. Com o passar dos anos, os pacotes de série, a tecnologia e o conforto caíram nas graças dos compradores e passaram a ocupar uma lacuna na procura pelo carro ideal. A motorização e o tipo de direção passaram também a serem analisadas no momento de compra.

      Com barras e alavancas, a direção mecânica marcou a estreia dos veículos. Em meados de 1890 começaram a surgir modelos com o tradicional volante. Ligado diretamente à caixa de direção por meio de uma coluna, a direção mecânica permite o motorista guiar as rodas do veículo. Apesar de necessitar de um pouco mais de força do motorista, o custo de manutenção é menor.

     Já o sistema de direção hidráulica, funciona de certa forma, parecido com o mecânico. Entretanto, ele é dotado de uma bomba hidráulica, um reservatório de óleo e uma serie de mangueiras de alta e média pressão que ficam encarregados de fazer o fluido circular. Assim, diminuindo a força necessária para a movimentação do volante e deixando as manobras mais leves.

      Em 1988 a direção elétrica foi apresentada no Suzuki Cervo. Diferente da hidráulica, a elétrica não tem necessidade de bombas e fluidos para auxiliar no movimento das rodas, mas sim um motor elétrico junto à caixa de direção com sensores que detectam o posicionamento do volante e das rodas, dando a impressão de que o volante está mais leve, muitas vezes causando estranheza aos motoristas. Com o passar dos anos, upgrades foram incorporados à direção elétrica, como um novo componente que passou a deixar o volante do carro mais rígido, deixando o motorista com a sensação de “sentir” mais o carro. Assim, a direção elétrica progressiva faz com que o motor elétrico atue menos no sistema de direção, conforme o aumento da velocidade do carro. Ainda há a direção eletricohidráulica, que é similar a direção hidráulica, porém, a bomba é acionada por um dispositivo elétrico.

      A Nasa Hyundai possui em sua gama de veículos, modelos com a direção elétrica progressiva, como o HB20 Nova Geração. Conheça de perto as vantagens deste modelo de direção, através de um test drive. Agendamentos podem ser realizados pelo (64) 3671-9200.